O projeto atual: Galicia Nomeada

Todos estamos cientes de que os nomes das terras, dos regueiros, das fontes, dos penedos...  correm um grave risco de desaparecerem até porque a maior parte deles só continuam a existir na memória das pessoas idosas. As aldeias ficam sem gente; há cada vez menos pessoas a viverem da agricultura e da pecuária, com a pastorícia também em risco de desaparecimento; o GPS dos barcos substitui o conhecimento que do meio aquático possuíam os velhos marinheiros..., por estes e por outros motivos, cada dia desaparecem dúzias de topónimos; o que não é utilizado, acaba por se perder.

Por isso, a melhor forma de preservarmos este património toponímico é fazermos com que os topónimos continuem vivos divulgando-os através da Internet para todo o mundo. Deste modo, os topónimos continuarão a cumprir a sua função nominativa para a qual foram criados, mas ganharão novas utilizações graças às novas tecnologias chegando ainda a mais pessoas do que o faziam através da secular transmissão oral. Por seu turno, a melhor forma de divulgar a toponímia sempre foram os mapas. Nos últimos anos, os avanços tecnológicos e metodológicos nos sistemas de informação geográfica oferecem-nos ferramentas que permitem localizar numa ortofoto aérea qualquer elemento do património cultural com um surpreendente grau de exatidão. Daí o auge que estão a ter na atualidade as cartografias coletivas com a sociedade a participar na criação de um mapa cultural

É nesta base que assenta a nova aplicação colaborativa online para a recolha, georreferenciação e divulgação da microtoponímia galega denominada Galicia nomeada.

Tanto este portal como o canal colaborativo GaliciaNomeada fazem parte das atividades realizadas no âmbito do Programa de Cooperación Interreg V A España – Portugal (POCTEP 2014-2020), incluído no projeto  0358 GEOARPAD "Patrimonio cultural da Eurorrexión Galicia-Norte de Portugal", sendo um projecto colaborativo que envolve a Secretaria Geral de Política Linguística, o Instituto de Estudos Territoriais, a Agência de Modernização Tecnológica da Galiza e a Academia Real da Galiza.