Xurés / Gerês: topónimos arraianos

Os topónimos O Xurés e Gerês são, respetivamente, os nomes galego e português de um extenso parque natural situado na linha seca que divide a Galiza e Portugal, no território da Limia Baixa em Ourense. Em português, também é utilizado com artigo, como evidenciado pelo nome do lugar Caldas do Gerês, mas a tradição portuguesa muitas vezes omite artigos em sinais de trânsito e nomenclaturas.

Segundo Gonzalo Navaza (2004, 155-159), a documentação medieval revela que o artigo masculino atual é o resultado de uma deglutinação ou aférese de uma vogal velar inicial: sub alpes Ugeres (ano 1074), subtus monte Ugeres (1096), rio Caldo subtus Ogeres (1100) etc. Este é o mesmo nome de lugar que aparece com diferentes variantes como nome de uma mansio no itinerário de Antonino: Aquis Oreginis, Aquis Originis, Aquis Ocerensis...

Em relação à etimologia, a documentação corrobora a interpretação de Edelmiro Bascuas (2002: 239), que propôs um étimo * UGERENSE (s) para este topónimo, derivado de uma raiz hidronímica paleo-europeia * UG-. Portanto, este topónimo diz respeito às águas abundantes que sobem e descem entre as pedras das corgas desta serra.

Tamén che pode interesar...

Anllóns é o nome de uma das correntes fluviais mais conhecidas da Galiza e o principal rio da região de Bergantiños.…

Um século antes de os Estados Unidos experimentarem a corrida do ouro, do outro lado do mundo, em Betanzos, começou outra febre, a do…