A Toxa: a ilha que mudou de nome

Desde 2019, o município do Grove acolhe um fórum que, segundo os organizadores, “se formula como um espaço de diálogo, reflexão e defesa da democracia liberal no quadro Atlântico”. E não pode haver melhor cenário no Atlântico do que a ilha onde tem lugar, oficialmente A Toxa.

Toxa não é um nome de lugar exclusivo desta parte da costa galega. O Nomenclátor da Galiza regista este nome com artigo nos municípios de Pontecesures, Santa Comba, Touro, Vimianzo e Zas; sem artigo aparece em Silleda, onde também nomeia um afluente do rio Deza; e com sufixo diminuto, A Toxiña, encontramo-lo a nomear uma pequena aldeia no município de Lalín.

Existem três hipóteses principais que o definem como um hidrónimo, como um fitotopónimo e como um antrotopónimo. Millán-González inclui-o nos topónimos que descendem de uma raiz indo-europeia TEKU, “corrente de água, fluxo”, e estaria relacionado com outros nomes de cursos de rios, como Tea, Teo ou Te. Relativamente a esta hipótese, Bascuas associa a sua origem às lamas existentes nas proximidades da ilha. Para Nicandro Ares "parece um derivado de tojo (...) ou feminino do nome pessoal Togius". Navaza dispensa esta última hipótese antroponímica e, apesar de não poder "confirmar se são hidrónimos pré-latinos ou fitonímias da família tojo", relaciona os Toxa galegos com o asturiano La Toya, típico de uma "área onde o tojo é toyu”.

Seja qual for a origem, a verdade é que o que hoje conhecemos como Illa da Toxa, nem sempre recebeu este nome. A população de Arousa refere-se a ela como Ilha de Louxo e assim aparece no Dicionário Geográfico e Estatístico de Madoz: “los naturales del pais llaman á la primeira simplemente Toja (sic) - hoje Toxa Pequena - y á la segunda Loujo (sic), en la cual brotan aguas medicinales”. A cartografia antiga, principalmente a do século XVIII, confirma esse facto (veja a imagem que ilustra este artigo).

Não sabemos, contudo, a razão da mudança toponímica do nome da aldeia de Louxo, que deve ter tido lugar em algum momento do século XIX. De facto, no primeiro estudo (1841) sobre as propriedades medicinais das águas termais descobertas na ilha anos antes - no ponto conhecido como "Porca Morta" -, já é referido como "Louxo ou Toxa Grande" sendo tomado como referência do nome “Toxa Grande” um plano da ria de Arousa de 1833 feito pelo capitão Ignacio Fernández Flórez (imagem ao pé): “los naturales de Cambados llaman a esta última Loujo ou Louja”. É possível que esse mapa, portanto, tenha influenciado essa mudança de denominação e que a posterior implantação do balneário tenha auxiliado na expansão do nome. No entanto, o uso do antigo topónimo nas formas Enseada do Louxo e Praia do Louxo ainda está vivo hoje.

Ao contrário da Toxa, Louxo é um topónimo único em toda a Galiza e, portanto, pouco transparente quanto à sua origem. No monográfico Porca Morta. Historia de uma illa, recolhe-se a teoria de Francisco Otero Goday que especulava sobre a relação da ilha do Louxo com peixes semelhantes às raias que recebiam o nome de ouxos e que abundavam na zona. Segundo esta versão, de uma primeira Illa dos Ouxos, pronunciada "Illa do-louxos", passaríamos à Illa do Louxo, mas parece ser uma etimologia um pouco arriscada de um ponto de vista filológico.

 

.

Plano da ría de Arousa de 1833

 

 

Tamén che pode interesar...

Anllóns é o nome de uma das correntes fluviais mais conhecidas da Galiza e o principal rio da região de Bergantiños.…